NodeData: "text" : "Plano Estratégico BPI 2019‐2021", "data" : {"title" : "Plano Estratégico BPI 2019‐2021", "url" : "/particulares/plano-estrategico-bpi-20192021", "type" : "null", "catalog" : "null", "contentId" : "PR_WCS01_UCM01076697", "params" : {"content_id" : "PR_WCS01_UCM01076697", "page" : "null"}}

Simule Aqui

Sabe quanto vai receber na reforma?
PR_WCS01_UCM01076697

Plano Estratégico BPI 2019‐2021

Plano Estratégico do BPI prevê crescimento médio anual de proveitos de 7% até 2021.

  • "Criar valor com valores" é o lema do Plano Estratégico do BPI para o período 2019-2021, que terá cinco prioridades: aumentar a rentabilidade, melhorar a experiência do Cliente, desenvolver o capital humano, incrementar a eficiência operacional e consolidar a reputação do Banco;
  • O Plano tem como objetivos atingir uma taxa anual média de crescimento de 5% no crédito e de 3% nos recursos de Clientes, com destaque para os recursos fora do balanço (fundos e seguros). O crescimento médio anual dos proveitos core deverá atingir 7% no triénio 2019-2021;
  • O Banco prevê atingir um rácio de eficiência de 50% até 2021 e continuar a fazer progredir os indicadores de qualidade de crédito, os melhores atualmente em Portugal, consolidando o rácio de NPL abaixo dos 3%;
  • O compromisso social do BPI será reforçado em articulação com a Fundação "la Caixa", cujo orçamento para Portugal deverá atingir 50 milhões de euros por ano a partir de 2021.


As prioridades estratégicas do Banco são cinco e visam fazer crescer sustentadamente a rentabilidade, acelerar a transformação da experiência do Cliente, desenvolver o talento, melhorar a eficiência e consolidar a liderança em termos de qualidade, confiança e reputação junto dos Clientes e da sociedade.

Sob o lema "Criar valor com valores", o Plano será implementado com a missão de contribuir para o bem-estar financeiro dos Clientes do BPI e de se assumir como uma referência na banca socialmente responsável, assente nos princípios da confiança, qualidade de serviço e compromisso social.

O CEO do BPI, Pablo Forero, apresentou em Londres, num encontro com analistas e investidores, as linhas gerais do Plano Estratégico 2019-2021.

Pablo Forero considerou que "no último ano e meio, todas as equipas do BPI fizeram um trabalho extraordinário que coloca o Banco numa excelente posição para apoiar o crescimento da economia portuguesa nos próximos anos."

"Estamos completamente focados em crescer em Portugal, em disponibilizar crédito às empresas e às famílias e em prestar o melhor aconselhamento nos seus investimentos e poupanças" – afirmou.

Referindo-se ao Plano Estratégico, Pablo Forero declarou: "para atingir os objetivos a que nos propomos vamos impulsionar negócios com potencial de crescimento e rentabilidade, beneficiando da nossa participação no Grupo CaixaBank. "O BPI – concluiu - "vai aproveitar a capacidade de inovação do Grupo para manter a liderança no processo de transformação digital da banca, proporcionar uma melhor experiência ao Cliente e prosseguir a sua história de crescimento e de conquista de quotas de mercado".


Cinco prioridades estratégicas num contexto de crescimento

O Plano Estratégico 2019-2021 vai ser implementado, previsivelmente, num contexto de moderada desaceleração do crescimento económico em Portugal, que mesmo assim deverá continuar a beneficiar da subida do investimento, assente na melhoria da confiança das empresas, nas condições favoráveis de financiamento e na expansão do setor do turismo.

O Plano Estratégico reflete o propósito de reforçar a tendência de crescimento e de ganhos de quota de mercado que o BPI tem registado nos últimos anos, através de cinco prioridades estratégicas.

460x109planoestrategico_icons

A primeira prioridade é assegurar um crescimento sustentado da rentabilidade, fundada na expansão da banca de empresas e negócios, crédito ao consumo, crédito à habitação e comercialização de produtos de aconselhamento financeiro, em que se incluem os fundos e os seguros.

A segunda prioridade é a aceleração do processo de transformação digital do Banco, que contribuirá para melhorar a experiência do Cliente. O Banco BPI pretende usar as novas tecnologias para aumentar a capacidade de análise e resposta às necessidades de cada Cliente e disponibilizar uma oferta cada vez mais inovadora e multicanal, com um claro enfoque na mobilidade digital e nos seus reflexos no serviço ao Cliente.

A terceira prioridade situa os recursos humanos do BPI como um elemento estratégico para atingir os objetivos enunciados, através do investimento na formação e desenvolvimento em todos os níveis da instituição, fomentando a gestão do talento e impulsionando uma cultura ágil, que permita dar resposta ao ambiente em transformação no setor financeiro. O Plano prevê igualmente o desenvolvimento de iniciativas de integração na cultura do Grupo CaixaBank.

A quarta prioridade, o aumento da eficiência, dirige-se à simplificação, digitalização e gestão centralizada de processos, concentrando exclusivamente as equipas comerciais no serviço ao Cliente e na comercialização e aconselhamento de produtos financeiros.

Como quinta prioridade, o Plano elege a consolidação da elevada reputação do BPI que, em 2018, foi considerado o "Melhor Banco em Portugal" pela revista Euromoney. Esta prioridade assenta em dois eixos principais: a manutenção dos elevados níveis de qualidade do serviço que caracterizam o Banco; e a afirmação do BPI como uma referência na área do compromisso social e da gestão responsável.

Crescimento dos proveitos e da rentabilidade

Com a execução do Plano Estratégico 2019-2021, o BPI espera alcançar uma taxa de crescimento médio anual de 7% nos proveitos core e atingir um rácio de eficiência a rondar os 50% até 2021.

A rentabilidade será impulsionada pelo crescimento e diversificação de atividades essenciais, como a expansão da banca de empresas e negócios, do crédito ao consumo e do aconselhamento financeiro (seguros, fundos e poupança a médio e longo prazo). O BPI tem como objetivo atingir uma taxa média anual de crescimento de 5% no crédito, acima do crescimento esperado do mercado, e de 3% nos recursos de Clientes, com destaque para os recursos fora do balanço (fundos e seguros).

O Banco prevê, por outro lado, assegurar a estabilidade dos custos recorrentes e manter os melhores indicadores de risco de crédito em Portugal, consolidando o rácio de NPL abaixo dos 3%.

Reforçar a liderança na Transformação Digital

O BPI tem desempenhado um papel de primeiro plano na transformação digital da Banca em Portugal. O Banco é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus Clientes a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos Clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco.

460x305planoestrategico_grafico

Maior compromisso social com o apoio da Fundação "la Caixa"

Em resultado da participação do BPI no Grupo CaixaBank, a Fundação "la Caixa" iniciou o desenvolvimento da sua intervenção em Portugal, onde prevê aplicar um orçamento anual de 50 milhões de euros em velocidade de cruzeiro, que deverá ser atingida em 2021, quando estiverem em plena execução os principais programas previstos no Setor Social, Ciência, Investigação, Educação e Cultura.

A Responsabilidade Social constituiu desde sempre um eixo fundamental da identidade do BPI e do Grupo CaixaBank e será agora reforçada em Portugal em articulação com a Fundação "la Caixa", que já está a apoiar, a partir do final de 2017, inúmeros projetos nas áreas da Solidariedade Social, Cultura, Educação, Ciência, Investigação e Empreendedorismo.

A Fundação "la Caixa" é a primeira fundação de Espanha e a terceira maior do mundo, com um orçamento de 520 milhões de euros em 2018. A maior componente desse investimento, cerca de 60% do orçamento, destina se ao desenvolvimento de programas sociais.